Escolha uma Página

O mundo mudou e isso é perceptível em todos os aspectos. São diferentes opiniões, ideias e vontades e isso se projeta na alimentação também. Em uma sociedade tão multicultural, pensar em como chegar aos possíveis clientes torna-se um desafio para quem empreende no ramo alimentício. Nesse cenário, entra uma palavra: personalização.
Você pode se perguntar, como a personalização se encaixa nesse contexto? Há um tempo atrás, a produção, comercialização, atendimento e comunicação com o consumidor final tinha uma abordagem padronizada. Hoje, o empreendedor precisa ter em mente que seu consumidor precisa sentir-se especial. De acordo com a pesquisa feita pela Octadesk e Mindminers chamada Customer Experience Trends, os clientes se sentem valorizados quando a empresa se preocupa com um atendimento especial.
No ramo da alimentação funcional essa regra segue a mesma lógica, ao pensar e personalizar os produtos, até a chegada ao consumidor final de forma a superar expectativas. A personalização também se encaixa nessa esfera quando falamos sobre tipos de produtos oferecidos e nichos de clientes.

Saber o que se oferece

Antes de tudo, é importante saber qual o produto que você tem em mãos. Se ele for atraente, pode apostar que possivelmente terá público, ainda mais no ramo de alimentos funcionais, onde as pessoas buscam sempre por novidades saudáveis e práticas. Contudo, é preciso pensar em alguns pontos para que seu negócio prospere.
É necessário ter em mente que, além do seu negócio, existem outros no mercado que seguem a mesma linha. E, caso você ainda não tenha um nome firmado no ramo, entrar na competitividade pode ser arriscado. Grandes empreendimentos do setor de alimentos e produtos funcionais possuem um entendimento muito bem fundamentado do que deve ser feito.
Caso você esteja começando agora, é oportuno que o foco esteja em produtos funcionais de um nicho específico. O interessante é que, nos primeiros momentos, o nome seja consolidado com uma boa marca, sejam oferecidos alimentos funcionais e diferenciados e que agregam valor para quem consome.

A escolha do nicho

Escolher o público para quem será direcionado seus alimentos e produtos funcionais é uma das etapas decisivas no desenvolvimento de seu negócio. É importante que o empreendedor use todas as ferramentas disponíveis para identificar um potencial mercado, seja ela, a internet, o boca a boca ou mesmo a contratação de pesquisas mais aprofundadas. Contudo, alguns pontos devem ser levados em consideração quando se imagina possíveis consumidores.
Conhecimento sobre o tema: Você conhece as características dos alimentos funcionais? Domina o assunto? Se sim, já é um grande avanço, afinal, se você já tem noção sobre o mercado o olhar fica mais apurado. A partir dos seus conhecimentos, em conjunto com outras pesquisas, a escolha de todos os aspectos de seu negócio e produtos será facilitado.
Estar por dentro das tendências do mercado: O mercado de alimentos e produtos funcionais é um dos que mais cresceu nos últimos anos, cerca de 12,3% ao ano, segundo dados do Euromonitor Internacional. Ou seja, é necessário saber se seu produto será apenas “uma moda passageira” ou irá se fixar como essencial para os consumidores finais.
A viabilidade de produção: É fundamental imaginar a viabilidade de seu alimento funcional quando se pensa num público. Questões como: criação, desenvolvimento, acesso à matéria-prima e compostos, sabor, envase e transporte irão guiar sua entrada nesse tipo de mercado.

Antes de tudo, é importante saber qual o produto que você tem em mãos. Se ele for atraente, pode apostar que possivelmente terá público, ainda mais no ramo de alimentos funcionais, onde as pessoas buscam sempre por novidades saudáveis e práticas”.

Perfil do público-alvo

A palavra que norteia esse artigo é a personalização, como já deu para perceber, certo? Buscar o nicho para o produto que você deseja comercializar seus produtos e alimentos funcionais necessitará de muito conhecimento e interação com o mundo atual. São pessoas vegetarianas, veganas, que consomem produtos animais, que não tem tempo para uma alimentação “habitual”, mas querem se manter saudáveis… Os públicos são tão variados que atendê-los pode ser quase impossível. Mas uma boa notícia: não é.
A partir do conhecimento dos perfis de público, pode-se ter uma ideia de onde a atenção deverá ser colocada. De acordo com uma pesquisa feita pela Associação Paulista de Supermercados (APAS), dentre as preferências do públicos, é possível perceber que: mulheres se preocupam mais com opções mais saudáveis; as bebidas mais buscadas pelos consumidores são: chá (normal e gelado), smoothies, energéticos e iogurtes e produtos sem conservantes ou outros aditivos.
A pesquisa Brasil Food Trends 2020 aponta ainda o que o público procura quando compra um produto que vende saudabilidade e bem-estar. Dentre eles, podem ser citados: os benefícios ao desempenho físico, mental e à saúde do coração, auxílio ao sistema gastrointestinal, o viés cosmético e o foco em atletas.
Nessa vertente está a Pronutrition, que busca alinhar e oferecer seus conhecimentos no processo de desenvolvimento do produto até a chegada ao consumidor final. Tudo isso ajustado com os pensamentos e ideias dos empreendedores, e assim, atingir o nicho desejado de forma eficiente e com a qualidade esperada.

Ficou interessado? Chama a gente para uma conversa.