Escolha uma Página

Quando escutamos o termo “suplementos alimentares” possivelmente surgem na mente a imagem de atletas ou pessoas musculosas, certo? Mas, será que só essas pessoas consomem esse tipo de produto?

De acordo com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) os suplementos têm por finalidade fornecer nutrientes, substâncias bioativas, enzimas e outros compostos em complemento à alimentação. Ainda de acordo com o órgão, suplementos não são medicamentos e não devem ser usados para tratar enfermidades.

O mercado de alimentos e bebidas funcionais se insere dentro do contexto dos suplementos alimentares ao trazer opções de novas formas de nutrição. Essas novas maneiras de ingerir nutrientes não se restringem somente a atletas ou frequentadores de academia. Com um ramo tão promissor, as pesquisas desenvolvidas buscam atingir também outros públicos.

Suplemento para todos?

O uso de suplementos alimentares – dentro desse nicho entram também os alimentos funcionais – podem ser permeados por muitas dúvidas. Muitas delas, a respeito da eficácia, efeitos colaterais, dependência, enfim, são questões normais e que devem ser esclarecidas. É importante salientar que o os suplementos alimentares são feitos para pessoas saudáveis. No caso de pessoas em condições especiais precisarem utilizá-los, o aconselhável é sempre buscar por orientações médicas.

Em crianças, por exemplo, o uso de suplementos alimentares vai de encontro a uma questão que muitos pais passam: a falta de apetite e a rejeição que os pequenos possuem por certos alimentos. Nesses casos, o uso de complementos que auxiliam a ingestão de nutrientes fundamentais é aconselhável. Afinal, se faltam nutrientes, problemas como desnutrição, retardo de crescimento, desenvolvimento de anemia, entre outros, podem surgir. Para evitar tais problemas, suplementos alimentares ricos em vitaminas (A, B, E, C) e minerais (como zinco e ferro) são indicados.

De acordo com uma pesquisa apresentada na Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, que estudou o uso de suplementos alimentares em idosos, a complementação alimentar é necessária na terceira idade pela dificuldade em manter uma ingestão energética e de nutrientes de forma balanceada.

A pesquisa aponta que essas dificuldades se relacionam com a diminuição do metabolismo basal (capacidade do organismo em gerir a energia utilizada nos órgãos), rearranjo da massa corporal, mudanças no sistema digestivo e sensorial e ainda a sensibilidade à sede.

Alguns suplementos que podem auxiliar nestes casos, são: ômega 3 (otimiza a função cerebral, articulações, entre outros), fibras (ajudam no humor, sintomas de osteoporose e ainda sistema digestivo), proteínas (combate a perda de massa muscular) e ainda as vitaminas (auxiliam no sistema imunológico, pressão e colesterol).

A pesquisa Suplementos Alimentares na Gravidez, apresentado pela Universidade de Coimbra, aponta que a carência nutricional que ocorre durante a gravidez pode trazer, além de impactos indesejáveis para o desenvolvimento do feto, problemas para o organismo materno. Nesses casos, a suplementação se torna parte fundamental para garantir a saúde tanto da mãe quanto do bebê em formação.

Diferente do organismo de idosos, na gravidez há o aumento do metabolismo basal, o que ocasiona uma maior necessidade energética. Se essa energia não for bem estruturada, há a possibilidade de haver uma espécie de disputa entre a mãe e o feto. Nesses casos, a suplementação deve ser feita levando em consideração as necessidades da gestante, seus hábitos alimentares e os riscos que podem surgir. Dentre os suplementos comumente indicados, estão os à base de: ferro e ácido fólico (combate a anemia) e o uso de multivitamínicos (Folato, Ferro, Cálcio, Vitamina B12, Vitamina E, Magnésio e Iodo).

 

Suplementos tem por finalidade fornecer nutrientes, substâncias bioativas, enzimas e outros compostos em complemento à alimentação e não se restringem somente a atletas ou frequentadores de academia.

 

Cuidados a serem tomados

Contudo, é preciso que todo uso de suplementação seja acompanhado por um profissional de saúde. Apesar de haver centenas de informações sobre usos, aplicações e consumo de suplementos, cada corpo é diferente e é preciso levar em consideração as particularidades.

Antes de conhecer os benefícios de uma suplementação, é preciso saber o que se pode ou não ingerir. Para isso, é essencial uma visita ao nutricionista, afinal, é o profissional capacitado para indicar quais suplementos são necessários, quais as quantidades necessárias e período de seu uso. Apesar dos compostos atuarem sobre uma região específica, talvez o efeito esperado possa mudar de organismo para organismo.

No ramo de suplementação, é preciso que haja pesquisas, tecnologias e experiência necessária para nutrir com responsabilidade. Os parceiros que buscam os serviços da Pronutrition contam com uma estrutura completa para desenvolver suplementos alimentares, alimentos e bebidas funcionais que atendem todas as exigências técnicas exigidas.

Quer saber mais? Só chamar a gente.