A linha tênue que existe entre alimentação saudável e saúde mental é uma questão que pode ser indiferente para muitos. Nessa esfera, é importante entender como o ato de comer afeta o corpo.

Além de suprir nosso organismo com os nutrientes necessários, a alimentação também pode ser responsável pelas sensações que os alimentos podem trazer e, ainda, como atuam no funcionamento do corpo.

Talvez você já deve ter ouvido a expressão: “vou comer porque estou triste”. Frases desse tipo são muito comuns e trazem reflexões de como é nossa relação com os alimentos, já que a alimentação influencia nossa saúde mental, física e nosso humor.

Mas para uma melhor compreensão, de acordo com um artigo da Revista Physis de Saúde Coletiva, é interessante saber diferenciar dois conceitos importantes: “hábitos e comportamentos alimentares”.

comportamento alimentar e saúde mental habito alimentar e saúde mental

 

 

A mente e suas disfunções

Com esses conceitos estabelecidos, o entendimento sobre questões relacionadas às disfunções da mente, em conjunto com os hábitos e comportamentos alimentares, fica mais fácil.

A Organização Panamericana de Saúde (OPAS) afirma que essas disfunções se constituem pela relação entre emoções e pensamentos que podem afetar o ser humano. Ainda de acordo com a OPAS, lideram a lista de disfunções:

Depressão: Desde 2008, de acordo com dados da Universidade de São Paulo (USP), a quantidade de pessoas com depressão aumentou 18,4%, ou seja, 322 milhões de indivíduos, ou 4,4% da população mundial. No Brasil, 5,8% dos habitantes sofrem com a doença.

Ansiedade: Ainda de acordo com a USP, o Brasil também está no topo quando o assunto é ansiedade. Cerca de 9,3% dos brasileiros sofrem com esse mal, que engloba fobias, ataques de pânico e transtorno obsessivo-compulsivo.

Estresse: Segundo dados de um artigo da revista VEJA, 37% dos brasileiros estão com estresse extremamente severo e cerca de 32% dos trabalhadores brasileiros sofrem com os efeitos do estresse, como esgotamento físico.

 

Influência dos alimentos

O consumo exacerbado de comidas industrializadas e artificiais podem ir na contramão da nutrição saudável e agravar ainda mais essas doenças por não oferecerem os nutrientes completos.

Contudo, ainda de acordo com o artigo do Portal dos Psicólogos, a adoção de padrões alimentares saudáveis que incluem compostos, vitaminas, minerais e aminoácidos são apontados como essenciais. Alguns deles são:

Triptofano: diminuem os sintomas da ansiedade e podem ser encontradas em ovos, castanhas, feijão e lentilhas.

Ômega 3: proporciona bem estar do corpo e podem ser encontrados em peixes, linhaça, azeites e vegetais de folhas escuras.

Vitaminas do complexo B: diminui sintomas da depressão e inclusive da demência. Eles podem ser encontrados em couves, espinafres, trigo, brócolis e carnes bovinas.

Carboidratos: atua no bom funcionamento do sistema nervoso, já que leva glicose ao cérebro. Podem ser encontrados em batatas, cenouras, arroz, bananas e maçãs.

 

Alimentos para o humor

O conceito dos “mood food”, ou melhor, alimentos para o humor, está ganhando cada vez mais projeção por suas propriedades únicas ao ajudar tanto na saúde física quanto mental. Entretanto de acordo com um artigo da revista Duas Rodas, só em 2018, cerca de 45% dos produtos alimentares lançados no mundo continham nutrientes, como os citados no tópico anterior.

Os nutrientes presentes nesses alimentos agem diretamente na formação de neurotransmissores cerebrais. E, ainda de acordo com a revista Duas Rodas, os principais neurotransmissores são: a serotonina, a dopamina e a noradrenalina, que são responsáveis por regular a sensação de bem estar, aumentar a disposição e trazer mais foco.

 

Uma alternativa: alimentos e bebidas funcionais

Apesar de todas as consequências que os transtornos podem trazer, eles têm tratamento. Aliando consultas com psicólogos e psiquiatras, os alimentos e bebidas funcionais entram como uma alternativa de nutrição completa, saudável e equilibrada. Afinal, eles agem como um ciclo: Fornecem compostos importantes para o corpo, auxiliam a saúde, são saborosos, ativam e melhoram os sentidos e ainda amenizam efeitos do estresse, ansiedade e depressão, entre outras doenças.

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) aponta que além dos nutrientes básicos, os alimentos e bebidas funcionais são benéficos por possuírem compostos bioativos, capazes de organizar funções do organismo e na proteção contra hipertensão, diabetes, câncer, e claro, no que diz respeito às disfunções mentais.

Com amplo conhecimento sobre o setor, a Pronutrition se destaca na produção, desenvolvimento e entrega de produtos completos para diversas empresas que buscam produtos inovadores e que combinem sabor, saúde e praticidade. E o melhor: feitos para todas as idades e para inúmeros fins. Abaixo, confira alguns deles:

Brigadeiros funcionais: recomendados para diminuição do estresse, alívio de cólica e diminuição do cansaço mental.

Proteínas líquidas: traz a praticidade para atletas ao oferecer a proteína de forma engarrafada e gaseificada.

Termogênicos: alia ingredientes desidratados provenientes de flores, frutas e plantas, como por exemplo: cúrcuma, laranja amarga, chá verde, hibisco, além da pimenta.

Chás, cafés e chocolate quente: auxiliam a regulação do humor por conterem: triptofano (precursor do hormônio da felicidade), alecrim (regula o sono) e o Citrus Sinensis que auxilia no emagrecimento.

 

Mente e corpo em união

Cuidar da mente é tão importante quanto da saúde física, e adotar comportamentos saudáveis é um dos passos essenciais. O desenvolvimento e a inclusão de de compostos como triptofano, ômega 3, vitaminas e minerais em alimentos funcionais segue uma tendência mundial e são eficazes para minimizar a ansiedade, o estresse e a depressão, dentre outros males.

Para saber mais sobre, entre em contato.